FELIPE MASSA: homenagem a um grande atleta e ser humano


Por João Ricardo Cozac – especial para a o jornal “Gazeta Esportiva”

Nesses últimos 25 anos, o esporte me apresentou atletas e seres humanos fantásticos. Por sorte, alguns deles se tornaram meus amigos. E Felipe é um deles.

Ontem , em Interlagos, na sua despedida da F1 no Brasil, Felipe foi ovacionado e reverenciado por todos os presentes : o reconhecimento por sua luta, grande caráter, atleta e ser humano vitoriosos.

Num ambiente frio e absolutamente inóspito em termos de carinho, afeto e amizade como é a Fórmula 1, Felipe é uma unanimidade. E hoje recebeu todas as merecidas homenagens.

Por mais que se escreva e diga um monte de bobagens nas redes sociais, é preciso constatar que boa parte do povo brasileiro tem uma distorção absolutamente perversa e patológica diante da visão de seus representantes. Se o sujeito não é multi-ultra-mega campeão, ninguém reconhece o valor. E essa sina parece não mudar jamais.

Existe, diria, uma espécie de lavagem cerebral no imaginário afetivo e social do nosso povo, uma sede, necessidade, uma criança faminta que precisa de heróis para sobreviver.

Belluci enfrenta o legado de Guga – Rubinho e Felipe, o legado de Senna e Piquet – e tantos outros excelentes atletas que sempre são postos em comparações absolutamente indevidas e desnecessárias com ídolos do passado.

Reverenciar os feitos dos nossos ídolos e heróis e aprender com eles é extremamente saudável. Entretanto, viver aprisionado à sombra deles apenas reforça a imensa dificuldade de se reconhecer e valorizar o talento e a dedicação dos nossos atletas do presente.

Não vou nem comentar o que a gente lê por aqui – para não reforçar nossa intensa síndrome de vira lata – já tão reforçada pelo comportamento cultural do brasileiro (não apenas no esporte, mas na política, educação e em tantas outras áreas).

Hoje quero render minha homenagem ao Felipe – além de um atleta brilhante, sujeito correto, pai dedicado, filho exemplar – demonstra toda sua preocupação com o futuro do automobilismo brasileiro e tenho certeza de que, qualquer que seja seu futuro nas pistas, já deixou lições que, infelizmente, nem todos conseguem enxergar.

Valeu, Felipe! A vida está apenas começando. Os desafios, também!

Parabéns por todas as suas conquistas – do kart à fórmula 1. Dentro e fora das pistas, meu reconhecimento, admiração e amizade.

Seja feliz, sempre.
Obrigado pela amizade, parceria e pelo exemplo de atleta e ser humano que você foi, é e sempre será!

Um grande abraço com toda admiração, amizade e respeito.

Seu amigo,
João R. Cozac