Psicologia do Esporte e prof. João Carvalhaes: um visionário no mundo da bola

Muitos atribuem, de forma totalmente equivocada, o preconceito dos dirigentes do futebol em relação à Psicologia do Esporte por conta do trabalho desenvolvido pelo Prof. João Carvalhaes nas décadas de 50 e 60 no futebol brasileiro – quando reprovou Mané Garrincha no teste psicotécnico (único instrumento que havia na época para traçar o perfil psicológico) e o jogador foi uma das grandes estrelas do Mundial do Chile, em 1962 – na conquista do bicampeonato mundial da Seleção brasileira..

O que pouco se diz (e explica) é que as informações analisadas na aplicação do teste já demonstravam as tendências comportamentais do ser humano Mané Garrincha – que, como todos sabem, morreu de cirrose hepática por conta do alcoolismo. Quantos jogadores o futebol brasileiro continua perdendo por conta dos desvios sociais de conduta – desequilíbrio emocional e sociofamiliar? Vale pensar, certo?

Os fundamentos básicos e científicos da Psicologia do Esporte passam – obrigatoriamente – pelo contexto humano e pessoal dos atletas, suas interações com o mundo interno – universo social e expressão de suas crenças e culturas do comportamentais.

É hora de atribuir ao Prof. Carvalhaes – o valor merecido por sua obra e coragem: um homem de vanguarda – pessimamente compreendido por conta das teias finas do senso comum – da ignorância insistente dos dirigentes e de boa parte dos treinadores de futebol , do pobre e superficial contexto e concepção de atleta e ser humano nesse esporte.

Sessenta anos se passaram e o panorama da Psicologia do Esporte no futebol parece ser o mesmo. Só mudaram os personagens. Certamente, onde estiver, o prof. João Carvalhaes deve estar pesaroso diante das atrocidades e desrespeitos com que essa ciência especial e fundamental na preparação esportiva tem sido tratada e concebida no futebol – tanto pelos mandatários desse esporte como, infelizmente, por alguns dos colegas que insistem no reforçamento de ideias rasas e que depõem contra a evolução e cientificidade da Psicologia Esportiva brasileira.

João Ricardo Cozac é psicólogo do esporte com 25 anos de experiência, atuação e pesquisa científica – presidente da Associação Paulista da Psicologia do Esporte. Membro acadêmico/doutor e pesquisasor pelo laboratório de Psicossociologia do Esporte da USP. Professor titular e responsável pelo curso de formação em Psicologia do Esporte para alunos e profissionais de Psicologia e Educação Física com a turma 48, no momento, aberta para matrículas.

Contato – [email protected]